Caixa térmica biodegradável da Igloo também é muito ‘food tech’!


Extra Information

Por Letícia Fernandes

 

 

Adeus, isopor! A famosa marca de coolers, Igloo, agora entra para o hall das empresas preocupadas com o meio ambiente – a ponto de inovarem quando o assunto é sustentabilidade.

Ao lançar uma caixa térmica biodegradável que custa apenas 10 dólares, a Igloo sai na frente em termos de custo-benefício. Feita a partir de celulosa reciclada, a Igloo Recool é uma alternativa “verde” para substituir as caixas térmicas feitas de isopor. O lançamento será neste mês de maio.

Os coolers de isopor são práticos por serem baratos, leves e fazerem o trabalho de manter as bebidas frias, retendo o gelo. Esse isopor geralmente acaba sendo jogado fora em terrenos, etc, onde leva centenas de anos para se decompor. Agora, a Igloo tem uma alternativa para quem quer curtir a praia e a natureza sem prejudicá-las com poluição e despejo de materiais.

A empresa chama o Igloo Recool “primeiro cooler eco-sensível feito a partir de materiais 100% biodegradáveis”. Custando apenas 10 dólares, sua venda está prevista nas lojas norte americanas REI ainda neste mês – lembrando que começa o verão por lá.

O Recool é um cooler com superfície dura feito a partir de uma mistura de cera de parafina e celulosa reciclada. Com a capacidade de até 16 litros, o produto promete reter gelo por até 12 horas, sendo uma boa escolha para passeios e viagens rápidas. Seu design tem alças embutidas e uma tampa com 4 porta-copos, além de ser mais resistente a tombos – ao contrário do isopor.

O produto é surpreendentemente resistente visto que parece ser uma cesta de papel machê. Mas a Igloo afirma que o Recool é resistente, aguenta muito peso e segura a água sem vazar (até 5 dias). Após o uso, pode ser deixado para secar ao ar livre e ser reutilizado, ou reciclado e decomposto.

 

Fonte: CNET

 

Gostaria de se aprofundar nos assuntos? Abaixo disponibilizamos links para leitura complementar!

 

Estamos sempre buscando tendências sobre a revolução na cadeia de alimentos. Conhece alguma? Quer saber mais? Entre em contato.