Cannabis tech


Extra Information

Por Letícia Fernandes

Todos os dias buscamos as maiores tendências, negócios e inovações tecnológicas que estão ou irão revolucionar a forma como alimentamos o mundo. Confira nosso site e acompanhe essas notícias quentinhas diariamente!

 

Antes de iniciarmos o texto abaixo, vale lembrar que o consumo e venda de cannabis (maconha) ainda é proibido no Brasil, mas que muitos países como Estados Unidos e Holanda têm leis bem diferentes. Nos Estados Unidos, por exemplo, muitos estados regularizaram não só o consumo de canabidiol (medicinal) como também o uso recreativo: como é o caso da Califórnia (onde a medicinal é legalizada desde 1996), Colorado, Alasca, Oregon, Washington, Massachusetts e Nevada.

O norte da Califórnia é conhecido por sua forte cultura tecnológica e inovadora, região do Vale do Silício e São Francisco, pelo time de basquete campeão Golden State Warriors e também por sua produção de vinho, na região de Sonoma e Napa.

Unindo o útil ao agradável, a produtora de vinhos Rebel Coast Winery lançou esse mês um “vinho de maconha”: sauvignon blanc com presença de THC (princípio psicoativo da cannabis) e livre de álcool. As notícias sobre o lançamento da bebida já têm enchido as redes sociais e sites especializados. Com certeza uma nova maneira de saborear um vinho sem sentir ressaca no dia seguinte. A bebida será comercializada em dispensários, que são as “lojinhas” onde se compra cannabis na Califórnia, ou pelo site da própria Rebel Coast.

Fonte: TechCrunch

Além do vinho sauvignon blanc, a produtora também vem planejando lançar um vinho estilo rosé e um espumante – também com a maconha como ingrediente. Além desses produtos eles pretendem também lançar um vinho que contenha apenas o canabidiol (CBD), ou seja, que tenha apenas os benefícios médicos e não induza a efeitos psicoativos.

Diga sua opinião para a gente sobre essa inovação no ramo de bebidas! Além disso…

Gostaria de se aprofundar nos assuntos? Abaixo disponibilizamos links para leitura complementar!

 

Estamos sempre buscando tendências sobre a revolução na cadeia de alimentos. Conhece alguma? Quer saber mais? Entre em contato.