Como um tratamento que pode reduzir alergia a amendoins vai mudar o futuro da comida


Extra Information

Por Letícia Fernandes

 

Sempre abordamos as inovações do ramo de alimentos e bebidas que mais nos chamam a atenção. Vimos bastante sobre a mudança na demanda dos consumidores, que agora procuram produtos que sejam sustentáveis, saudáveis, clean label e exclusivos.

A moda do plant-based e o aumento de pessoas adotando o estilo de vida vegano fez com que muitas empresas da indústria de alimentos procurassem se adaptar ou produzir novas opções.

Mas para algumas pessoas essa “novas opções” não são apenas questão de gosto e/ou escolha, e sim, de sobrevivência.

Um estudo iniciado nos EUA poderá impactar milhões de consumidores que têm alergia a amendoins e também a indústria e os fabricantes que utilizam o ingrediente em seus produtos e precisam sempre estar atentos com potenciais contaminações.

Um estudo recente mostrou que cerca de 2% da população não-adulta, aproximadamente 1,2 milhões, têm alergia de amendoim. Segundo o Food and Drug Administration, a alergia a amendoim está entre as 8 maiores alergias dos últimos tempos.

A indústria de amendoins e fabricantes que incluem o ingrediente em seus produtos não têm muitos motivos para gostar desse tipo de estudo, visto que o fato dificuldade e torna caro o processo de separação de amendoim e outros alergênicos durante o processamento de alimentos – o trabalho deve ser minucioso, a fim de que tais ingredientes não contaminem outros produtos e causem problemas.

Os requisitos necessários na hora de rotular também devem ser levados em consideração pelos fabricantes, já que os alergênicos devem ser listados nas embalagens dos produtos. O termo mais comumente usado (“pode conter alergênicos”) vem causando dificuldade aos consumidores, que, muitas vezes, não consideram a informação clara.

Para que esses problemas sejam evitados, cada vez mais as empresas CPG (Consumer Packaged GoodS), ou seja, empresas que produzem itens consumidos diariamente, estão optando por produtos que não contenham alergênicos. A Nestlé, por exemplo, lançou uma versão dos seus biscoitos de chocolate Toll House contendo apenas 3 ingredientes e nenhum dos 8 maiores alergênicos.

A Mondelez, por sua vez, foi além e lançou todo uma linha voltada para quem tem alergias. A Enjoy Life Foods não utiliza nenhum dos 14 alergênicos mais conhecidos em seus produtos!

Enquanto o estudo citado pretende reduzir os malefícios causados pelas alergias aos amendoins, não significa que os produtores podem esquecer das medidas preventivas e requerimentos necessários para rotulação desses produtos.

Alguns produtores continuarão fazendo o que for necessário para eliminar os amendoins de seus produtos, outros ficarão exitantes em incluir o ingredientes e outros poderão inovar nos tratamentos, fazendo com que alimentos contendo a famosa pasta de amendoim possam ser bem recebidos nas cantinas das escolas novamente.

Fonte: Food Dive