Laticínios criados em laboratório – a próxima barreira alimentícia a ser quebrada


Extra Information

Por Letícia Fernandes

 

 

As proteínas alternativas têm sido grandes protagonistas de nossas matérias nos últimos meses. Seja por conta do crescente número de empresas produzindo hambúrgueres e outros produtos plant-based, seja por causa dos estudos e pesquisas que pretendem desenvolver “carne” de laboratório.

De acordo com matéria do site The Conversation, os laticínios podem ser os próximos a serem produzidos em laboratório, pois o leite, além de ser muito consumido, também é muito usado como ingredientes em queijos e iogurtes, por exemplo. Para citar apenas alguns.

Os produtos feitos a partir do leite, como o queijo e iogurte citados, são diferentes do leite em si e, portanto, podem ser mais apropriados para o uso de caseína e soro criados em laboratório. É por isso que startups como a californiana Perfect Day Foods, priorizou a criação de produtos contendo as proteínas sintéticas em vez de produzir apenas o “leite de laboratório”.

A empresa desenvolveu uma forma de microflora geneticamente modificada que produz tanto caseína quanto soro através de um processo de fermentação. Essas proteínas sintéticas podem substituir os laticínios ou complementá-los. O processo pode ser comparado ao uso de leveduras na produção de álcool, onde são usados de maneira controlada para criar bioprodutos fermentados e envolve dois diferentes processos para dois distintos resultados.

Assim como acontece com as outras proteínas alternativas já citadas, é difícil produzir leite integral com a mesma textura e gosto do leite de vaca, por exemplo. A proteína é apenas um componente do leite; a gordura do leite é outra, e provavelmente a mais difícil de imitar dentro das alternativas plant-based.

A estrutura da gordura do leite fornece um gosto e sensação específicos quando tomamos, e essa formulação pode ser uma desafio maior do que criar proteínas para serem usadas no queijo ou iogurte. É certo que muitos problemas precisam ser resolvidos antes que os produtos sejam postos em supermercados, mas só a possibilidade desses produtos existirem já é considerada boa notícia para quem pretende seguir o estilo de vida vegano – ou apenas incrementar uma dieta à base de plantas.

 

Gostaria de se aprofundar nos assuntos? Abaixo disponibilizamos links para leitura complementar!

Estamos sempre buscando tendências sobre a revolução na cadeia de alimentos. Conhece alguma? Quer saber mais? Entre em contato.