Alimentação Regenerativa: o que é?

Dando continuidade à parceria Food Ventures e GEPEA, neste mês de maio vamos abordar o tema: “Alimentação Regenerativa: presente e futuro”. No texto desta semana falaremos sobre a definição de alimentação regenerativa.

A parceria entre o GEPEA e a Food Ventures visa criar um conteúdo rico. O intuito é trazer a visão de negócios da Food Ventures em conjunto com a visão acadêmica da Empresa Júnior.

Aproveite a leitura!


Regeneração


Regeneração, para a biologia, é a capacidade dos tecidos, órgãos ou mesmo organismos se renovarem ou ainda de se recomporem após danos físicos consideráveis. Ou seja, de modo geral, significa o restabelecimento do que foi destruído ou sofreu alguma alteração.

Como sua alimentação pode ser um ato regenerativo?


A Alimentação Regenerativa é uma maneira de nos conectarmos com nossa saúde, nossos valores e com a natureza através do que escolhemos ingerir. Ela envolve a compreensão e a empatia de tudo que nos cerca, ou seja, uma maneira holística de nos alimentarmos, que leva em consideração o todo, o integral.

Estamos vendo um crescente interesse por parte dos consumidores em produtos que levem em conta o atual contexto social e ambiental. Marcas que abracem a sustentabilidade, a ética animal, a diversidade e valorizem ingredientes naturais e saudáveis. Vertentes da alimentação natural, como, por exemplo, a Ayurveda, funcional e plant based, se tornam cada vez mais populares.

Agricultura Regenerativa


A maneira como conduzimos a agricultura e a pecuária nos dias de hoje se mostra pronta para uma mudança. Monoculturas, desmatamento, criação de gado, hectares de plantação de soja para fazer ração de gado, por exemplo, podem estar relacionados com emissões globais de gases de efeito estufa e outras consequências ambientais.

Iniciativas como produção de orgânicos, locavorismo, contabilização das pegadas de carbono e diminuição do consumo de produtos de origem animal têm funcionado como respostas às práticas desastrosas atuais.

A agricultura orgânica foi a precursora do que conhecemos agora como agricultura regenerativa. Essa abordagem holística da agricultura baseia-se em práticas de saúde do solo e gestão da terra que imitam a natureza, utilizando técnicas como:

  • Rotação de culturas ou cultivo sucessivo de mais de uma planta na mesma terra.

  • Cobrir o cultivo ou o plantio o ano todo, para que a terra não fique em pousio durante as entressafras, o que ajuda a evitar a erosão do solo.

  • Cultivo conservador, ou menos aração de campos.

  • Pastagem de gado, que estimula naturalmente o crescimento das plantas.

  • Diminuição do uso de fertilizantes e pesticidas.

  • Nenhum (ou limitado) uso de OGM para promover a biodiversidade.

  • Bem-estar animal e práticas justas de trabalho para os produtores.

Adotando a agricultura regenerativa podemos reduzir ainda mais nossa pegada de carbono.


Alimentos orgânicos e regenerativos


Assim como os produtos orgânicos, os alimentos regenerativos têm custo maior devido aos altos custos de mão de obra. Segundo Diana Martin, diretora de comunicações do Instituto Rodale, pioneiro em pesquisa sobre agricultura orgânica, “os consumidores precisam estar dispostos a pagar por isso”.

É claro que para o futuro esperamos que as práticas de agricultura orgânica regenerativa tenham se tornado mais comuns e que combinem a transparência e qualidade de produção com o baixo custo para esses alimentos.

Leia também: Agricultura e pecuária regenerativa em tempos de coronavírus.


Ingredientes naturais


Para Fernanda Matta, da Tradal Brazil, os produtos naturais podem ser encaixados em diversas tendências do mercado como, por exemplo, a Naturalidade, Saudabilidade e Clean Label. Além disso, vemos o crescimento de investimento em biodiversidade, sustentabilidade, funcionalidade e sazonalidade.

Ainda segundo ela, há uma recente teoria científica que diz que ingredientes funcionais devem ser entregues ao corpo de maneira íntegra em vez de isolada, visto que o efeito benéfico à saúde se dá melhor na maneira como os ingredientes interagem com o corpo.

Nesse sentido, a alimentação natural regenerativa mostra que há vários caminhos que podemos seguir para sermos saudáveis e conscientes. A regeneração acontece no sentido mais amplo da palavra: regenera-se o ser humano, a sociedade e o planeta.

Por fim, gostou de saber mais sobre a alimentação regenerativa? Desenvolve algum produto ou conhece alguma empresa que trabalhe com isso? Conte para nós!

Acesse nossas redes sociais para mais informações, textos e não perca o webinar no fim do mês sobre esse tema.

Entre em contato conosco para conversar, trocar experiências e saber mais sobre nossos serviços e como podemos o ajudar.