Como será a ida ao supermercado num futuro 'omnichannel'

Omnichannel é uma estratégia de conteúdo entre canais que as organizações usam para melhorar sua experiência do usuário, interligando diferentes canais de comunicação, com o objetivo de estreitar a relação entre online e offline.

Com conexões digitais sempre ativas e demandas dos consumidores que mudam gradativamente, a experiência do mercado está evoluindo. De atendimento ao cliente baseado em texto a cozinhas virtuais, visualizamos a tecnologia mudando nossa ida ao supermercado.

Em meio a pandemia, o ano de 2020 obrigou os comerciantes a se concentrarem nas conexões omnichannel. Estima-se que o crescimento das vendas de alimentos online disparou 53%, e esses novos comportamentos de compra digital devem permanecer.

A pandemia também mudou a experiência de compra em estabelecimentos. Circulares pararam e as barras de comida preparadas desapareceram, enquanto o delivery de restaurantes explodiu e a demanda por checkout sem contato aumentou.

Ao mesmo tempo, surgiu o interesse por saúde, bem-estar e sustentabilidade. Com este contexto, conseguimos prever como a ida ao supermercado será em dois anos. Vejamos alguns exemplos de como a tecnologia vem inovando nesse setor:

  1. Atendimento ao cliente por texto: nossos celulares viraram a fonte principal para pedidos de comida e compras.

  2. Smart/cloud/ghost Kitchen e Quiosques robotizados: com o distanciamento social e fechamento de bares e restaurantes, as cozinhas virtuais (que só fazem delivery) e a entrega feita por robôs (inteligência artificial) ajudam a evitar o contato indesejado.

  3. Micro-fulfillment: Micro-fulfillment center é um armazém de pequena escala localizado em áreas urbanas, mais próximas do consumidor final, que servem para oferecer velocidade de entrega, precisão e eficiência através do uso de automação e robótica.

  4. Reutilizar: embalagens reutilizáveis ou recarregáveis atingiram o pico de popularidade em 2020, com o banimento de plásticos descartáveis em diversos países, por exemplo.

  5. Marketing personalizado para o consumidor: o marketing virou digital e as marcas começaram a investir na operação de suas próprias redes de mídia de varejo, em soluções de marketing personalizadas que compartilhem mais dados, ofereçam mais criatividade e possam oferecer um ROI (retorno sobre o investimento) mais forte.

  6. Self-checkout sem operadores de caixa: iniciativas para pagamento sem contato físico com outras pessoas ganharam força ano passado, virando regra inclusive no Brasil.

Em todos esses elementos, vemos uma ênfase na eficiência do processo e na coleta de dados nos pontos de contato para oferecer uma experiência mais relevante e integrada ao consumidor - nas interações de compra digitais e físicas.


Fonte: CB Insights