Do que os millennials gostam? Parte II

Atualizado: Jul 15

Continuando nosso texto de ontem, hoje falaremos de mais uma tendência para o setor de alimentos e bebidas que foi influenciada pela geração millennial.


Indústria do café


Para quem perdeu essa discussão na internet, a paixão pelo café é uma das coisas que a Geração Z acha "cringe" (cafona) sobre os Millennials. Sim, nós millennials amamos café e estamos dispostos a pagar mais por produtos gourmet.

Assim como a Geração X e os baby boomers anteriormente, os millennials tomam muito café. Eles também começaram a beber café muito novos - em média, a partir dos 15 anos de idade. Hoje os millennials lideram a vanguarda no ressurgimento da indústria do café - aproximadamente 44% da demanda da bebida nos Estados Unidos.

Ainda que o consumo de café esteja alto, ele está mudando, sem dúvida. Em vez de café comprado em loja e pré-embalado, os millennials buscam bebidas"artesanais", como cold brew, além de produtos que venham de origem ética, gourmet e sustentável - estudos recentes mostram que 70% do café consumido por essa geração é considerado gourmet.


Café personalizado


Como já vimos diversas vezes, os millennials esperam produtos e experiências personalizadas, diferentes - feitas para eles. Para seu café, essa geração tende a deixar o café preto e quente para trás e experimentar o cold brew ou cafés com infusão de nitrogênio.

A opção da bebida em lata é conveniente para os consumidores "on-the-go", enquanto os diferentes sabores oferecem mais diversidade para consumidores mais exigentes. O amor dos millennials por café é um sinal positivo para cafeicultores e produtores artesanais. A demanda por café premium não irá diminuir num futuro próximo, criando condições de mercado favoráveis ​​para os atuais e novos participantes.


Café sustentável


Como uma geração eco-consciente, os millennials também têm interesse em saber como e onde seu café foi produzido, influenciando diretamente na sua decisão de compra. Muitos consumidores da Geração Y têm pelo menos um pouco de conhecimento sobre seu café, favorecendo marcas comprometidas com o comércio justo e práticas de cultivo ambientalmente sustentáveis.

E o interesse não se limita apenas aos grãos e cultivo. As alternativas ao leite de vaca já têm sido exploradas há algum tempo, inclusive revelando um nicho lucrativo e gerando clientela fidelizada. O leite de aveia, em particular, presenciou um crescimento dentro desse nicho graças aos millennials - uma tendência que deve continuar crescendo conforme as dietas plant based ganham mais e mais interesse por parte do público.

Com a quantidade cada vez maior de opções em café, os fabricantes precisam buscar diferenciar suas ofertas se quiserem atrair a atenção dos millennials - e eles têm uma ampla gama de estratégias para fazer isso, desde adicionar mais cafeína até promover ações éticas ou sustentáveis e experimentar novos ingredientes, como proteína em pó, nootrópicos e CBD.


Concordam com a CB Insights? Eu particularmente sou uma millennial que ainda gosta de café preto quentinho, mas já sou adepta dos leites vegetais. Fique ligado pois ainda tem mais sobre as tendências da geração millennial!