Frugalidade entre as tendências mais valorizadas pelos consumidores

Como temos observado em nossas retrospectivas sobre as principais tendências para 2020/2021, muitos fatores se repetem: sustentabilidade, personalização, saudabilidade...

O site Consumidor Moderno, com base em temas vistos no Whow! Festival de Inovação 2020: “Trend Session: Mudança de Valores. Os Principais Sentimentos E Tendências de Consumo”, numerou as 5 principais tendências que podemos esperar para o mercado global (de forma geral, não só no setor de alimentos).

A Food Ventures vem batendo na tecla de que, com o digital invadindo todos os setores de nossas vidas e tornando tudo rapidamente mutável e transformador, os valores priorizados pelos consumidores também mudam rapidamente, e cabe ao mercado e à indústria acompanharem.

As estratégias das empresas estão cada vez mais voltadas à experiência do cliente e como se dá o seu consumo, desde a pesquisa, localização e estudo preliminar sobre os produtos, ao cuidado com a identificação de marca e gestão pós-vendas.

A frugalidade tem sido colocada como uma das fortes tendências que vieram para ficar. Segundo o dicionário, frugalidade tem a ver com a moderação alimentar; simplicidade, sobriedade de costumes, de hábitos etc. Ou seja, a cada ano que passa vemos que "menos é mais".

A “Economia Frugal”, como nomeou a consultoria WGSN, desenvolvedores de um estudo onde abordam os comportamentos dos consumidores, baseia-se em uma mentalidade de corte de gastos, principalmente em tempos de pandemia. Os Millennials, principalmente, estão se adaptando a um estilo de vida mais simples, segundo o estudo, e estão aprendendo a ser mais responsáveis financeiramente e mais resilientes.

O estudo da consultoria aponta ainda que essa mentalidade econômica entre gerações mais jovens pode continuar mesmo depois da melhora da economia. Vejamos então quais foram as tendências mais valorizadas por esses consumidores:


1. Longevidade: produtos duradouros, que sejam oferecidos a um valor justo e também ligados à linhas de produção sustentáveis.

2. Olhar holístico sobre o bem estar: preocupações com a saúde física e mental; produtos voltados a reforços imunológicos, com propriedades antivirais e probióticos.

3. Luta contra a solidão: promover conexões e experiências ao consumidor, desde aulas virtuais, a assistências técnicas online, etc. Fazer com que o consumidor se sinta parte da empresa.

4. Busca pela verdade: estabelecimento de uma relação de confiança com o consumidor, com checagem de fatos, conversas abertas sobre a cadeia de produção, responsabilidade corporativa e visão de valor e fidelidade para as marcas.

5. Foco em ambientes seguros: surge o conceito de “santuário”- uma maneira para transformar lugares públicos e estabelecimentos em refúgios pós-pandemia, um local seguro, que ofereça acolhimento e conforto ao usuário.