Geração Z não está pronta para carne desenvolvida em laboratório, diz estudo

Um estudo da Universidade de Sidney diz que consumidores entre 18 e 25 anos olham para a carne desenvolvida em laboratório com “repulsa”, apesar das preocupações com o meio ambiente e bem estar animal que acompanham a inovação alimentícia.

A pesquisa entrevistou pessoas que nasceram entre 1995 e 2015, fazendo perguntas sobre suas preferências alimentares, o quanto gostavam de comer carne, com qual frequência, e se eles estariam dispostos a consumir diferentes alternativas: carne cultivada em laboratório, proteínas de insetos e plant-based.

Foi revelado que 72% dos entrevistados não se consideram preparados para consumir carne cultivada em laboratório – ainda que essa alternativa seja produzida por células in-vitro em vez de abater animais.

Apesar do resultado negativo em relação à carne cultivada, 41% disse acreditar que é uma fonte nutricional legítima para realizarmos a transição para alimentos mais sustentáveis e melhorar o bem estar animal.

Quase 60% dos participantes se mostraram preocupados com o impacto que a criação de gado atual causa ao meio ambiente, mas muitos não estavam esclarecidos sobre quais são esses impactos e qual a associação com o esgotamento das fontes.

Em contraposição, os pesquisadores também notaram que alguns entrevistados acreditam que carne cultivada é uma conspiração orquestrada pelos ricos e poderosos e estavam determinados a não consumi-la. Muitos participantes também estavam incertos sobre a carne cultivada ser uma opção ambientalmente sustentável. Ouch!

Fonte: Food Navigator

Fonte: Australian Farmers