Newsletter FV: Esquentou o mercado!

Esquentou o mercado!

E o mundo também!


Curiosidade: Hoje, 12 de Agosto, só que em 1990 - foi encontrado o fóssil de T-rex mais bem preservado no mundo, a Sue. Ele foi leiloado por us$8,36MM para os EUA e já apareceu até em filme de Hollywood aterrorizando guarda de museu.

As empresas e os Influencers

Para começar a mostrar como o mercado de alimentos está aquecido essa notícia mostra uma realidade interessante sobre o futuro da criação de negócios no nosso setor. Marcas que nascem com a marca de um influenciador digital. A Adventures INC empresa fundada pro Ricardo Dias, que já foi VP de Marketing da Ambev e era um dos perfis indicados no LinkedIn para você que queria saber mais sobre inovação e marketing no setor de alimentos. Utilizando teorias já discutidas na época de VP do Ricardo (como a entrada da Anitta na Ambev), a Adventures anunciou que tem R$50MM para investir na criação e construção de marcas fortes e assim construir e comprar DNVBs. Para quem não está familiarizado com o termo as DNVBs ou empresas verticais, nativas e digitais, esse texto da Astella explica bem o tema. Criar marcas ou crescer novos negócios é um grande desafio, mas a nova forma de consumo e a internet tem ajudado a criar referências, muitas vezes de forma muito rápida. Usar a relação dos influenciadores com esses consumidores é uma estratégia poderosa e devemos ver mais iniciativas assim. Um caso legal em Alimentos é o da Puravida - uma empresa que nasceu digitalmente e que cresceu muito no mercado apoiada pelo know-how e referência de um de seus fundadores, o Flavio Passos, com o consumidor alvo da empresa.


JBS reporta recorde de Lucro

Ok, eu falei de aquecimento global e vamos falar agora de Lucro? Nos últimos meses tenho refletido muito sobre como “marketeamos” pouco nossas glórias. Outro dia ouvi uma notícia que criticava o Brasil por vender ilegalmente ouro para países como Inglaterra, Holanda, França e Dinamarca. Em nenhum lugar do texto eu vi alguém falar mal dos países europeus, que incentivam a alguns aninhos, essa prática de tirar ilegalmente riquezas de países mais pobres. Enfim, voltando ao tema, os lucros da JBS. A empresa teve o melhor trimestre de sua vida e atingiu a marca histórica de R$4,4 Bilhões de lucro. Segundo a empresa parte do resultado está na retomada do consumo de alimentos e do food service nos EUA, o que torna a notícia legal para quem está investindo nesse setor por aqui também. O setor de proteína animal está em disrupção e empresas como NotCo crescem com o desenvolvimento de negócios na cadeia de alternativas a proteínas animais (plant-based). Nessa linha, minha provocação é que os lucros de uma e o crescimento de outros mostra que o Brasil tem muita força para trazer transformações nessa cadeia. E unir ambos pode ser uma delas. Você já conhece alguma startup no Brasil que reduz o consumo de proteína animal unindo as alternativas? Olha esse exemplo que legal.


FEMSA e Andina compram Therezópolis

Pela primeira vez a Coca-Cola Company autoriza uma fabricante a adquirir uma marca de cerveja. Femsa e Andina são as maiores engarrafadoras da Coca no Brasil. Esse movimento aqueceu a semana e mostra que a Coca está reavaliando seu modelo de operacional para enfrentar a concorrência. Segundo as compradoras elas vão manter a fórmula, ingredientes e receita da cervejaria que nasceu em 1912, a marca era controlada pela GreenDay Natural Products, empresa familiar dona de produtos como Catuaba Selvagem, o vinho Cantina da Serra e a Ousadia, uma bebida alcoólica de vodka e suco - o que faz refletir que o nome da sua startup não importa muito ou eu entendi tudo errado sobre Natural Products? A Femsa já tem o know-how para operar a nova marca e tinha interesse de suprir o buraco deixado pela distribuição da Schincariol quando a Heineken comprou a Brasil Kirin há 4 anos. O movimento das cervejas artesanais é uma inspiração para a forma como devem crescer as startups dos outros ramos da cadeia de alimentos - produção compartilhada, co-packers e distribuição com fortes players.


E mais dinheiro na cadeia de alimentos…

A Americanas anunciou ontem a aquisição da rede varejistas Hortifruti Natural da Terra. No eixo RJ-SP o varejista é uma das referências na grande tendência de produtos naturais do setor de alimentos, além claro da força em hortaliças e frutas. A compra mexeu com o mercado que não esperava esse movimento. A Hortifruti (RJ) Natural da Terra (SP) nasceu da união de dois varejistas de dois grandes estados. A aquisição no valor de R$2,1Bilhões representa um movimento de forças e reforço da Americanas no segmento de varejo alimentício saudável. Analises pessoais, unimos ai uma loja conhecida para comprar doces, salgados, snacks e outras coisas no modelo de lojas expresso com uma loja que criou uma força para trazer produtos da horta para as gondolas em 24hs no modelo consumo local e slowfood. Esperamos que isso traga novidades boas para o nosso setor! Insight: Quando Hortifruti e Natural da Terra se juntaram a estratégia de manter as duas marcas (com suas forças locais) foi clara mas atrapalha esse escritor na hora de escrever o nome da empresa. Espero que na próxima notícia não tenha que escrever Hortifruti Natural das Terras Americanas. rs Extra: essa notícia também me provoca um pensamento. Muitas inovações hoje estão na linha de produtos naturais, sustentáveis e saudáveis - mas olha quem vai abrir capital em breve - a Dori, um dos maiores produtores e distribuidora de snacks e doces do Brasil - IPO espera levantar R$1 Bilhão

Startup da Semana

#Negócio : Rizhom - o ecossistema para uma nova economia digital sustentável *Quer ver uma startup aqui? Indique para nosso ecossistema. Cadastre-se.

Eventos

HAPPY FOODTECH 2021 - Tacta Food School: 24 e 25/08 FISA - Ultimo dia de evento, está muito bom 11º BHB - Em setembro, aproveite lotes promocionais

Para pensar…

Estamos em uma das cadeias produtiva mais impactantes do futuro do mundo, já pensou a responsabilidade?!

Você chegou até aqui! Obrigado, fico muito feliz. Tenha um ótimo dia!

Augusto Terra