O Futuro da indústria de alimentos - restrições alimentares?


Uau, acabamos de começar o mês de Setembro e já estamos na metade dele! Atrasamos mas esse é o primeiro texto do mês para continuar a maravilhosa série de textos sobre o mundo dos alimentos da parceria incrível entre Food Ventures e Bioma Food Hub.


Como acompanhar a velocidade da evolução e das mudanças alimentares? Tendo isso em vista, o texto dessa semana trará quais são as formas que a indústria, legislação e o consumidor tem envolvido na redução de ingredientes, mudanças e restrições alimentares.


Aproveite a leitura!


Não deixe de ler: “A economia circular dos alimentos – construindo um sistema menos linear


Os novos hábitos


O acesso à informação mudou, nossa alimentação também.


Quantas vezes você lê o rótulo de um produto antes de comprar ou consumir? Esse é um hábito que tem crescido em todo o mundo e fez aumentar o interesse por informações sobre a composição do alimento que iremos consumir.


A construção desse hábito está muito relacionada à forma como consumimos informação hoje. Você, por exemplo, está aqui, lendo um texto sobre um assunto que te chamou a atenção na internet, buscando conhecer melhor o que diz respeito aos nossos costumes, classe social e círculo de relacionamento.


A mudança de hábitos e a construção de novos mercados está intrinsecamente relacionada ao crescimento da informação adquirida. O crescimento do mercado de produtos de base vegetal nos últimos três anos, por exemplo, se deu não só nas prateleiras de supermercados, mas também é um novo hábito de consumo que cresce nos lares mundo afora.


Essa mudança está ligada às relações que as pessoas estabeleceram com a sustentabilidade e a ética, mas, em alguns casos, a indústria também teve que se adaptar às restrições alimentares e condições de saúde dos consumidores. Como é o caso do aumento de produtos sem glúten e também as novas legislações para as indústrias no que diz respeito às informações nos rótulos dos produtos.


Aproveite e leia também: “Nova rotulagem da FDA inclui pote inteiro de sorvete e pacote todo de chips”.


O rótulo


Para algumas pessoas, a relação entre o rótulo dos produtos e os alimentos não remete a problemas. Muitas vezes as embalagens são utilizadas apenas para identificar uma marca ou entender qual o principal ingrediente do produto - no caso de sucos, por exemplo, a fruta indica o “sabor principal”.


Fonte: Põe no Rótulo

Para outros indivíduos — e a indústria tem sentido essa mudança — o rótulo é parte importante para garantir segurança e saúde, seja para a própria saúde, ou a de familiares e dependentes.


A Anvisa trabalha desde 2014 para organizar a revisão de regras de rotulagem nutricional. Quando pensamos em um rótulo devemos ir muito além de apenas uma ordem de ingredientes - sem saber exatamente o que são aqueles itens - e também levar em conta sua capacidade de nutrir uma pessoa.


Pensando nisso, algumas movimentações mundiais vêm pedindo alteração nas regras. As mais mencionadas são as de redução de açúcar, gordura saturada e sódio. No âmbito nacional, já encontramos alguns movimentos que facilitam o processo para que tenhamos o desenvolvimento de uma legislação mais coerente e segura para todos, como é o caso da "Poe no Rótulo".


A influência do consumo e do problema comum


As alergias



Estima-se que 6% das crianças e 3,5% da população adulta tenha alergias alimentares. Enquanto a indústria segue num movimento intenso para se adaptar às novas, e crescentes, demandas, encontramos casos de alergias em pessoas que nunca tiveram alergias antes, mas que diante de alguns alimentos podem vir a desenvolver sintomas.


Cerca de 90% das alergias são causadas por: leite, soja, ovo, trigo, amendoim, castanhas, peixes e crustáceos. Porém, qualquer tipo de alimento pode causar alergia alimentar.



Fonte: alergiaalimentarbrasil.com.br


Não estamos falando de gostos, não é uma questão de não gostar de comer peixe. O assunto é sobre alergias, que deve ser tratada como uma doença que pode causar até a morte.


Algumas pessoas alérgicas relatam a dificuldade de encontrar um alimento que tenha todas as informações corretas, fazendo com que, muitas vezes, busquem grupos de pessoas com o mesmo problema. É fácil, dentro desses grupos,encontrarmos relatos de produtos que alegam ser livres de ingredientes alergênicos, mas ainda assim causam alergias.


Por esse motivo, e por ser o ponto de contato entre a indústria e o consumidor, o rótulo deve, além de vender, também fazer o papel de educador, levando informação para todos de forma clara e precisa.


Muitos movimentos ajudam a encontrar soluções para esses problemas, como é o caso do pessoal da "Alergia Alimentar Brasil".


Redução na indústria de alimentos


Menos é mais


A população exige uma alimentação mais equilibrada. Em todas as classes sociais, hoje o alimento é sinônimo de saúde. A grande mudança vem sendo puxada pela geração de millennials - nascidos entre 1980 e 1995 - que hoje é parte importante da base de consumidores.


Pesquisa da Deloitte informa que, em 2017, nove de cada dez companhias do setor de alimentos introduziram pelo menos um produto formulado ou reformulado para atender o consumidor que deseja “menos alguma coisa”.


É fácil encontrar nos mercados produtos dos mais variados: sem glúten, sem lactose, orgânicos, veganos, mais saudáveis, etc. Produtos esses, que até 3 anos atrás compartilhavam uma pequena prateleira ou corredor e agora se espalham por todo o espaço.


Além dessa mudança, o que podemos esperar do futuro dessa categoria é aumentar muito mais que o atual “nicho de mercado”e tornar mais educativo o rótulo - quem ajudar o consumidor a se alimentar melhor ganha!


A cadeia de alimentos é diretamente influenciada pela sociedade e com as várias mudanças que vêm e continuarão ocorrendo, pode-se perceber que a indústria de alimentos terá vários desafios, inovações e novidades nessa nova década. O Consumidor mudou e as indústria de alimentos também.


-



Na próxima semana, vamos falar sobre a relação desse tema com a sua saúde e com o mercado. Não perca.


Acompanhe os próximos conteúdos dessa parceria incrível entre Bioma e Food Ventures! Cada mês são produzidos conteúdos sobre temas relevantes para a indústria de alimentos!


Acesse nossas redes sociais para mais informações e não percam!


Mas conta para nós o que achou sobre esse conteúdo e como você acha que essas mudanças vão influenciar a cadeia de alimentos. Entre em contato conosco para conversar e trocar experiências e saber mais sobre nossos serviços e como podemos o ajudar a inovar e se adaptar a essas mudanças.




Política de Troca, Entrega e Reembolso

Nossos Produtos são digitais e entregues de acordo com cada um dos planos.

Entrega: toda quarta newsletter free e toda segunda Mapa Startups

 

O reembolso do pagamento é feito apenas no prazo de teste grátis

 

Mais informações no e-mail de contato.
 

DADOS E CONTATO

Tel: (11) 99232-6210

Email:  info@foodventures.com.br

Food Ventures Consultoria em Inovações Ltda

CNPJ: 28.768.322/0001-02

Campinas , SP - Brasil

SIGA-NOS

  • LinkedIn ícone social
  • Instagram
  • Facebook
  • Pinterest

© 2020 por FoodVentures