Do que os millennials gostam? Parte final

Indústria dos congelados


Millennials em busca de conveniência estão conduzindo um renascimento no corredor de congelados. Pode parecer que as comidas congeladas não combinam com a tendência de saudabilidade, mas esse setor deve valer mais de US $ 400 bilhões até 2027.

É fato que as comidas congeladas têm um problema de imagem: podem ser convenientes mas, até recentemente, não eram associadas com saúde ou vistas como uma alternativa desejável a refeições preparadas na hora.

Então, o que mudou? Um ressurgimento nas vendas e a ascensão de novas startups criando e entregando refeições congeladas sob medida. Em 2017, os millennials gastaram uma média de 9% a mais em comida congelada a cada visita ao supermercado do que outras gerações. Em 2018. o volume total de congelados vendidos nos Estados Unidos aumentou pela primeira vez em 5 anos, impulsionado em grande parte por millennials e consumidores que têm filhos.


Mudança de jogo


Dentre os fatores que contribuíram para essa volta de interesse nas comidas congeladas, podemos apontar a pandemia do coronavírus, que tornou impossível (pelo menos por um tempo) frequentar restaurantes, conveniência e praticidade e o custo, já que essas refeições são alternativas mais baratas ao delivery ou a comer fora.

Outro fator, claro, foi o surgimento de comidas congeladas saudáveis. Tradicionalmente, opções congeladas não apresentavam uma diversidade de ingredientes saudáveis, mas isso mudou. Graças ao crescimento do veganismo, por exemplo, os fabricantes de refeições congeladas estão indo atrás de opções plant based para oferecer. 52% dos millennials preferem alimentos orgânicos e 40% estão numa dieta plant based.

Marcas do ramo plant based como Gardein, Daiya e Sweet Earth (propriedade da Nestlé) tiveram ganhos significativos no mercado nos últimos anos - e a tendência não dá sinais de que irá parar. Além disso, marcas como a Gardein estão fazendo parcerias com fabricantes de refeições congeladas para que incorporem alternativas plant based em seus portfólios.

Uma seleção mais ampla, maior qualidade e preços mais competitivos provavelmente impulsionarão as vendas de alimentos congelados em um futuro próximo. No entanto, conforme as expectativas dos consumidores aumentam, também aumentam os custos de fabricação. O maior desafio que as empresas de alimentos congelados populares enfrentam não é convencer uma nova geração de consumidores dos benefícios dos alimentos congelados; é como fabricar e definir o preço de produtos de alta qualidade de forma competitiva sem cortar muito nas margens de lucro.


A próxima e última tendência abraçada pelos millennials e citada pela CB Insights, são as bebidas gaseificadas - as hard seltzers. Mas essa tendência já foi bastante abordada aqui em nosso site. Você pode conferir aqui e aqui.