Projeto EPIC- KITCHENS lança precedentes para o uso de inteligência artificial na cozinha

O projeto EPIC - KITCHENS foi criado para ser o maior conjunto de dados sobre ações e comportamentos enquanto as pessoas cozinham.

Liderado por um grupo de pesquisadores universitários, a ideia é prover um banco de dados aberto que permitirá pesquisadores do ramo de inteligência artificial a construírem modelos computadorizados que sejam melhores e mais modernos para serem usados na cozinha.

A arte de cozinhar e outras ações que as pessoas têm na cozinha são, portanto, o foco da EPIC - KITCHENS. Os objetos de estudo são vídeos de pessoas cozinhando e interagindo com objetos com o ponto de vista em primeira pessoa - tudo sem roteiro e com interações naturais.

Alguns times de pesquisadores conseguiram prever ações utilizando apenas o áudio dos vídeos (como o abrir de uma tampa), o que é realmente impressionante.

Os pesquisadores têm pedido para participantes, de pelo menos 10 nacionalidades diferentes, gravarem seu tempo na cozinha utilizando uma câmera GoPro. Os mesmos participantes depois assistem os vídeos e realizam uma espécie de narração ao vivo de seus movimentos.

Para testar o material recolhido, os pesquisadores escolheram três "desafios": detecção de objetos, reconhecimento de ações e antecipação de ações. Ou seja, para que a futura inteligência artificial consiga dominar plenamente o que fazemos enquanto cozinhamos, a EPIC - KITCHEN vem alimentando seu banco de dados com exemplos a serem seguidos.

A natureza espontânea dos vídeos faz com que até a multitarefa na cozinha seja detectada. Exemplo: pessoas que vão lavando a louça enquanto cozinham; se pensarmos, é mais comum do que imaginamos, e isso poderia tornar a inteligência artificial ainda mais realista.

Como vimos em nossos textos com o GEPEA sobre cozinhas inteligentes e alimentação preparada por robôs, pode ser que o ato de cozinhar fique cada vez mais distante de nossa realidade. O que você acha disso?


Fonte: Synced Review e The Spoon.