Saiu no NY Times: Ambev tem metas ambiciosas para diminuir poluição por plástico

Como já vimos em algumas matérias do nosso finado (temporariamente) site, a Ambev, assim como a Nestlé, Coca-Cola e outras marcas, tem investido muito tempo e dinheiro para encontrar soluções atuais e aplicáveis de modelos sustentáveis em sua produção.

A Ambev, como noticiou o The New York Times, estipulou uma meta ambiciosa de eliminar a poluição causada pelo plástico de suas embalagens até 2025, podendo gerar aproximadamente 1 bilhão de reais em negócios.

A maior cervejaria da América Latina fechou parceria com acionistas, fornecedores, cooperativas de reciclagem, startups e universidades a fim de que suas bebidas utilizem ou uma embalagem totalmente retornável ou feita com material 100% reciclável.

O vice-diretor de sustentabilidade da Ambev, Rodrigo Figueiredo, disse em entrevista que cerca de 40% das cervejas da marca já utilizam embalagens retornáveis, mas que o sucesso dessa ação tornou o sonho de acabar com a poluição feita por embalagens plásticas ainda maior.

Vimos também que essa tendência sustentável além de global, e necessária, vem sendo influenciada por sua empresa-mãe, Anheuser Busch InBev, que também entrou na onda das alternativas ecofriendly.

Em outubro, por exemplo, a subsidiária brasileira AB InBev anunciou sua primeira marca de água em lata, a AMA – como noticiado também pela Food Ventures.

A Ambev investiu um total de 17,5 bilhões de reais entre 2014 e 2018 em alternativas sustentáveis. Entre elas podemos citar o projeto de utilizar apenas energias renováveis até 2025 e a construção de uma fazenda movida a energia eólica (moinhos de vento) que deverá suprir a produção de bebidas no Nordeste, assim como as cervejarias da Budweiser espalhadas pelo Brasil.

#ecofriendly #sustentável