Superfood amazônica: buriti

Mais nutritivo que o açaí, o buriti tem se tornado grande fonte de renda para produtores do Vale do Juruá, no Acre, onde há a Cooperativa de Produtores do Vale do Juruá, Coopervale, e as empresas Norte Hortifrúti e Alfa Indústria e Comércio de Alimentos.

O buritizeiro é uma espécie de palmeira bastante abundante no Brasil, principalmente na região amazônica, e é conhecida como “árvore da vida”. O fruto da palmeira, o buriti, pode ser utilizado na produção de alimentos, de óleos e de produtos que são usados na indústria de cosméticos.

Como já vimos por aqui, a região amazônica é rica em frutas e biodiversidade, gerando empregos e possibilidade de empreendimento na produção de derivados do buriti, macaxeira, ou mandioca, açaí, entre outros.

Empreendimentos como a Coopervale, por exemplo, tem gerado 46 empregos diretos com carteira assinada, mais de 300 famílias cooperadas e outras 300 famílias aguardando para entrar na cooperativa, mostrando que é possível empreender, gerar emprego e renda mesmo em tempo de pandemia.

Com um portfólio variado de produtos, a Coopervale trabalha na fabricação de óleos como o de buriti, açaí, abacate, maracujá, manga, abacaba e patuá. Produtos da macaxeira, como o purê pré-pronto, petiscos de macaxeira e a macaxeira crua e pré-cozida embaladas a vácuo. Além do açaí cremoso, e a grande novidade, o buriti cremoso que é mais nutritivo que o açaí, e em pouco tempo pode se tornar o queridinho do público fitness, por conta da grande quantidade de vitaminas, minerais, nutrientes, betacaroteno, entre outros benefícios para a saúde.

De acordo com o gestor da Coopervale, Janaldo Pinheiro, a cooperativa já começou exportar seus produtos para outros estados e também mantem contato com Estados Unidos para a exportação da macaxeira e seus derivados, além de Peru e Bolívia.

“Já estamos mandando nossos produtos para outros estados e recentemente começamos as tratativas com empresários dos Estados Unidos que tem interesse na macaxeira e seus derivados. O Peru já fez uma encomenda de mais de uma tonelada de polpa de buriti e a Bolívia pouco mais de meia tonelada. Estamos só aguardado finalizar alguns tramites burocráticos para começarmos a enviar as encomendas”, comemora o gestor.

Major Rocha, vice-governador do Acre, afirma que o estado tem potencial econômico para realizar exportação de seus produtos para outros países e que o governo do Acre não medirá esforços para que o setor produtivo seja fortalecido.

“Volto a afirmar que o Acre está resgatando sua vocação natural para a produção. Já está mais que provado que o setor produtivo, o agronegócio é a saída econômica para nosso Estado. Temos a melhor carne do Brasil, temos a melhor farinha, temos produtos orgânicos, madeira e outros. Essa é a meta do nosso governo, eu e o governador Gladson Cameli não mediremos esforços para apoiar iniciativas e empreendimentos como esse do Janaldo”, garantiu Rocha.




Fonte: Folha do Acre/Ci.Orgânicos